Archive for dezembro, 2006

Feliz Ano Novo

Desejar feliz ano novo sempre é uma tarefa difícil. Como já dito no ano passado aqui neste post, é difícil soar verdadeiro e fugir da mecanicidade própria dessa época.

Às vezes posso até parecer chato e sem atenção por não responder a todos os recados, telefonemas e emails que me são enviados mas quem me conhece sabe que não é uma atitude proposital. Eu que sou mesmo muito esquecido.

Quero, então, neste post, no último dia deste ano, desejar a todos que sua página branca (ver post do ano passado aqui) esteja pintada (o que quer que seja) da maneira como quiseram. Todos sabemos que nunca se têm tudo que se quer e talvez a tela esteja borrada. Talvez alguns traços não tenham sido bem postos. Mas, na arte, assim como na vida, o que mais importa é a intenção do artista.

Para o próximo ano, que a sua técnica de pintura se aprimore e sejamos artistas da vida da melhor maneira possível.

Feliz 2007.

Gabriel Galvão

31/12/2006 at 3:45 pm 3 comentários

Adesivos de Carro

Hoje no trânsito me deparo com um adesivo em um carro que questionava o seguinte:

“Deus sem você é Deus.
Você sem Deus é o que?”

Será que “Livre” é uma boa resposta?

Qual seria a resposta de vocês?!

P.S.:

Os adesivos de carro são um sinal claro de que a pessoa é religiosa e fervorosa com isso. O ponto central da discussão não está no conceito ou entidade de um possível ‘Deus’ mas na relação que existe de dependência e/ou diminuição do ser humano frente a um conceito (des)conhecido. Os mais religiosos tendem a querer extirpar tudo que há de humano nos humanos em detrimento de uma vida puramente espiritual como objetivo final.

Também vale salientar que os adesivos simbolizam também o fenômeno do “povo escolhido”. Há uma crença entre os mais religiosos de que eles estejam em um grupo separado do resto da sociedade. Um grupo que, de acordo com a Bíblia e seus preceitos, é o d’os escolhidos’. Aqueles bonzinhos que vão para o céu comer algodão doce. Todo o resto irá queimar no inferno. O adesivo é, então, uma auto-afirmação como em “eu faço parte dos escolhidos e vou para o céu, e você?”, o que demonstra como o processo de extirpação do humano que há nos humanos depreendido pelo religiosos diminui sua auto-estima como ser humano e frente à complexidade do universo.

22/12/2006 at 5:09 am 12 comentários


rápidas

Feeds